3 livros para começar a ler Mia Couto

Sou fãzoca do Mia Couto desde que li o primeiro livro que comprei, “A confissão da leoa” (resenha aqui!). Isso foi em 2013, e desde então leio ao menos 3 ou 4 livros do escritor moçambicano por ano. A minha sorte é que a Companhia das Letras está publicando toda a sua obra no Brasil, com lançamentos periódicos! =D

Também é assim com a maioria das pessoas que conhecem o trabalho do Mia: elas querem falar pra todo mundo desse cara que escreve umas bonitezas. Eu mesma decidi comprar o livro após ver várias amigas compartilhando trechos de obras suas. Se você também tem essa curiosidade, vim aqui indicar três livros para conhecer a obra desse autor tão único!

Isso não quer dizer que o estilo de Mia Couto não sofra influências diversas – dá até pra associar aos brasileiros Adélia Prado e Guimarães Rosa. Mas este biólogo que se tornou escritor buscou na cultura moçambicana a originalidade da sua escrita, retratando para o mundo as dores do seu povo, mas sem deixar de lado toda a mística da língua, das religiões e dos costumes do país africano. É realmente de se apaixonar!

Uma dúvida comum a quem nunca leu literatura lusófona: é difícil? Não! Muda um pouco o estilo, a grafia de algumas palavras, mas nada que torne o texto complicado. Aliás, os termos mais diferentes ou de dialetos costumam ganhar um glossário nas edições brasileiras, sempre ao fim dos livros.

Isso significa que você pode se aventurar pelo mundo de Mia Couto sem medo! Três dicas para começar:

O fio das missangas (2004)

Este é um livro de contos da maior sensibilidade. São 29 histórias curtas, de cerca de 4 ou 5 páginas, abordando família, amores, luto, infância e vários outros conceitos que todos nós compreendemos. O mais interessante de perceber quando se lê literatura africana é que as histórias não são estereotipadas como a nossa visão do continente, e que por mais diferentes que sejam nossas experiências, temos também muito em comum. Mia Couto é brilhante em apelar pra essa nossa humanidade, cada vez mais adormecida mas que se desperta a cada novo conto. O meu livro é todo marcado com frases lindamente construídas, tanto que usei uma delas na epígrafe do meu trabalho de conclusão de curso na faculdade <3

Terra Sonâmbula (1992)

Este é o romance mais elogiado de Mia Couto, embora tenha sido publicado há mais de 20 anos (e apenas 9 após seu primeiro livro). Ganhou o Prêmio Nacional de Ficção da Associação dos Escritores Moçambicanos em 1995, além de ter sido escolhido como um dos doze livros africanos do século XX na Feira Internacional do Zimbábue. O livro entrega o interesse do autor pela história de seu país, resgatando momentos chave de Moçambique, em especial de sua guerra civil. A trama de Terra Sonâmbula permeia este momento, quando um menino e um velho utilizam um ônibus carbonizado como abrigo em sua jornada por um país devastado pelo conflito interno que se seguiu à guerra contra os colonos portugueses. Em um dos corpos que jazem à beira da estrada, eles encontram o diário do morto, que passa a intercalar capítulos entre o passado de seu autor e o presente dos protagonistas. Isso mantém a narrativa em constante movimento e apresenta olhares diferentes sobre a mesma tragédia. Terra Sonâmbula faz jus à fama que tem!

Antes de nascer o mundo (2009)

Já escrevi aqui sobre este livro que tanto me impactou (tanto que também ficou todo marcado!). É de uma beleza tão singela e uma tristeza tão pungente! Mia Couto se utiliza de uma grande alegoria, de uma metáfora para construir o mundo de Jesusalém, uma terra esquecida por Deus após o fim do mundo. É lá que habitam Mwanito, seu pai e irmão, resquícios do que restou da humanidade. Até que surge Marta, uma portuguesa em busca do marido perdido por aquelas bandas durante a guerra, e o menino “afinador de silêncios” tem seu primeiro contato com o mundo externo, que ele sequer sabia que existia. Mesmo com poucas palavras, Mwanito é um dos personagens mais ricos de Mia Couto pela inocência com que observa tudo ao seu redor e descobre mais sobre suas origens e o que realmente aconteceu com o mundo. É sem dúvida um dos melhores livros que li nos últimos anos!

Espero que goste das dicas! Já conhece o trabalho do Mia Couto? Então deixe suas próprias dicas nos comentários abaixo 😉

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *